Erros científicos no Alcorão

alcorao

Um dos argumentos mais populares para o Islã é o que podemos chamar de “Argumento da Precisão Científica”. Os apologistas muçulmanos afirmam que o Alcorão contém inúmeros afirmações científicas que não poderiam ser conhecidas por Maomé sem revelação divina e que foram verificadas apenas séculos mais tarde. Contudo, a verdade é que o Alcorão é um desastre científico. O livro sagrado dos muçulmanos afirma que o sêmen é formado entre a espinha dorsal e as costelas (Alcorão 86:6-7), que a terra é plana (Alcorão 88:20), que existem sete terras (Alcorão 65: 12), que o sol e a lua perseguem um ao outro em torno da terra (Alcorão 36:38-40), que os embriões humanos são coágulos de sangue (Alcorão 22:5), que o céu cairia sobre a terra se Allah não o segurasse (Alcorão 22:65), que as estrelas são mísseis que Allah usa para atirar nos demônios que tentam se esgueirar para o céu (Alcorão 37:6-10 e 67:5).

Passagens sobre estrelas sendo mísseis são especialmente interessantes. Vamos ler algumas. Alcorão 67:5 diz: 

“E adornamos o céu aparente com lâmpadas [as lâmpadas são as estrelas], e lhes destinamos apedrejarem os demônios, e preparamos, para eles o suplício do fogo infernal.”

As estrelas são mísseis que expulsam demônios. Como é que isso funciona? Alcorão 37:6-10 diz:

“Em verdade, adornamos o céu aparente com o esplendor das estrelas. (Para esplendor) e para proteção, contra todos os demônios rebeldes, para que não possam ouvir os celícolas, pois serão atacados, por todos os lados, como repulsa, e terão um sofrimento permanente. Exceto quem arrebatar algo, furtivamente, será perseguido por um meteoro flamejante.”

Os demônios que se esgueiram para o céu para roubar algumas informações são “perseguidos por um meteoro flamejante”. Maomé explicou no Hadith que isso se refere a estrelas cadentes. Quando você vê uma estrela cadente, é porque Allah ou os anjos pegaram um demônio tentando roubar algo e lançaram uma estrela no demônio. 

Agora, isso é bobo em vários níveis. As estrelas cadentes não são realmente estrelas. São rochas que se queimam quando entram na atmosfera terrestre. E quantos muçulmanos acreditam realmente que, quando uma pedra atinge a atmosfera terrestre, é para impedir que um demônio se afaste com informações valiosas? Os muçulmanos hoje sabem mais sobre as estrelas do que o autor do Alcorão.

Vejamos outra passagem. Alcorão 18:83-86: 

“Interrogar-te-ão a respeito de Zul-Carnain. Dize-lhes: Relatar-vos-ei algo de sua história: Consolidamos o seu poder na terra e lhe proporcionamos o meio de tudo. E seguiu um rumo, até que, chegando ao poente do sol, viu-o pôr-se numa fonte fervente, perto da qual encontrou um povo. Dissemos-lhe: Ó Zul-Carnain, tens autoridade para castigá-los ou tratá-los com benevolência.”

Zul-Carnain aparentemente foi Alexander o Grande. Mas quem quer que seja, o Alcorão diz que ele viajou tão longe do Ocidente que encontrou o lugar onde o sol se põe. O sol se põe em uma fonte fervente.

Os muçulmanos modernos estão envergonhados por esta passagem, então eles dizem que o que realmente significa é que Zul-Carnain viu o reflexo do sol em uma fonte, e pareceu-lhe como se o sol estivesse se sentando na fonte. Obviamente, isso não é o que o texto diz. Mas é importante notar que os muçulmanos que querem explicar a passagem dessa maneira estão afirmando entender melhor o Alcorão do que Maomé, porque o próprio Maomé afirmou que o sol se põe em uma fonte. Vamos ler Sunan Abu Dawud 4002. Esta é uma narração sahih:

“Foi narrado que Abu Dharr disse: Eu estava caminhando atrás do Mensageiro de Allah enquanto ele estava em um burro, e o sol estava se pondo. Ele disse: ‘Você sabe onde esse (sol) se põe?’ Eu disse: ‘Allah e seu Mensageiro sabem melhor’. Ele disse: ‘Ele se põe em uma fonte de água.’”

Observe que este hadith não diz nada sobre Zul-Carnain. Este é Maomé dizendo a um de seus companheiros onde o sol vai quando ele se põe, e Maomé diz que ele se põe em uma fonte. Então, o significado óbvio do Alcorão é confirmado por Maomé, e Maomé e o Alcorão estão simplesmente errados. 

Quando colocamos as alegações científicas do Alcorão junto com as afirmações científicas do hadith, obtemos uma imagem realmente boba do universo. Maomé acreditava que existem sete terras, todas planas, empilhadas umas sobre as outras como panquecas, exceto com uma longa distância entre elas. Fora na borda da terra superior, que é a nossa terra, é uma fonte onde o sol se põe. Há também sete céus acima das terras, e são como cúpulas que cairão sobre nós se Allah não as segurar. No céu mais baixo estão as estrelas, que Allah usa para lançar em demônios. E tudo isso é encaixotado entre um peixe gigante no fundo e oito cabras gigantes no topo. O que Maomé ensinou de correto? 

A visão de Maomé sobre a reprodução humana é tão ruim. De acordo com Maomé, o sêmen se forma entre a espinha dorsal e as costelas (o que é obviamente errado), então junta-se com o sêmen feminino (errado), e o sêmen daquele que descarregar primeiro determina com qual dos dois a criança se parecerá (errado). A criança fica quarenta dias como uma gota de esperma (errado). Então a criança passa mais quarenta dias como um coágulo de sangue (errado). Depois, se torna um nódulo (errado), e então se torna osso (errado). Depois os ossos estão envolvidos com carne (errado), e aí a forma final é determinada, quando Allah finalmente decide se a criança será menino ou menina (errado). 

Então, novamente, o que Maomé  ensinou de correto? Se esta é a maior evidência para a profecia de Maomé, só podemos nos perguntar por que alguém acredita no Islã.

Anúncios