Quem são as duas testemunhas de Apocalipse 11?

duas-testemunhas

“Deram-me um caniço semelhante a uma vara de medir, e me foi dito: ‘Vá e meça o templo de Deus e o altar, e conte os adoradores que lá estiverem. Exclua, porém, o pátio exterior; não o meça, pois ele foi dado aos gentios. Eles pisarão a cidade santa durante quarenta e dois meses. Darei poder às minhas duas testemunhas, e elas profetizarão durante mil duzentos e sessenta dias, vestidas de pano de saco’. Estas são as duas oliveiras e os dois candelabros que permanecem diante do Senhor da terra. Se alguém quiser lhes causar dano, da boca deles sairá fogo que devorará os seus inimigos. É assim que deve morrer qualquer pessoa que quiser causar-lhes dano. Estes homens têm poder para fechar o céu, de modo que não chova durante o tempo em que estiverem profetizando, e têm poder para transformar a água em sangue e ferir a terra com toda sorte de pragas, quantas vezes desejarem.

Quando eles tiverem terminado o seu testemunho, a besta que vem do Abismo os atacará. E irá vencê-los e matá-los. Os seus cadáveres ficarão expostos na rua principal da grande cidade, que figuradamente é chamada Sodoma e Egito, onde também foi crucificado o seu Senhor. Durante três dias e meio, homens de todos povos, tribos, línguas e nações contemplarão os seus cadáveres e não permitirão que sejam sepultados. Os habitantes da terra se alegrarão por causa deles e festejarão, enviando presentes uns aos outros, pois esses dois profetas haviam atormentado os que habitam na terra.

Mas, depois dos três dias e meio, entrou neles um sopro de vida da parte de Deus, e eles ficaram de pé, e um grande terror tomou conta daqueles que os viram. Então eles ouviram uma forte voz do céu que lhes disse: ‘Subam para cá’. E eles subiram para o céu numa nuvem, enquanto os seus inimigos olhavam.”

(Apocalipse 11:1-12, NVI)

No Antigo Testamento, era preciso pelo menos duas testemunhas para condenar alguém por algum crime (Deuteronômio 17:6; 19:15), e, neste caso, as duas testemunhas acusam Israel de apostasia. As imagens também remontam a uma passagem do Antigo Testamento em que Zacarias vê duas oliveiras à direita e à esquerda de um candelabro que simbolizam “os dois que são ungidos para servir ao Senhor de toda a terra” (Zacarias 4:14).

Zacarias identificou as duas testemunhas como Zorobabel, governador de Judá, que voltou a Jerusalém para estabelecer as bases de um segundo templo, e Josué, o sumo sacerdote encarregado de presidir o seu altar. Em Apocalipse, esse imaginário é investido em duas testemunhas que presidem o julgamento e a destruição de Jerusalém e do Terceiro Templo de Salomão. Como Moisés, as testemunhas têm o poder de transformar água em sangue (Êxodo 7). E, como Elias, elas têm o poder de fazer descer fogo do céu para consumir os seus inimigos e para fechar o céu para que não chova durante três anos e meio (1 Reis 17; Lucas 4:25).

A missão das duas testemunhas pode ser identificada com a pessoa e a obra de Jesus Cristo, pois:

  • Jerusalém é a mesma cidade em que o Senhor foi crucificado. A cidade é chamada figuradamente de Sodoma porque simboliza a maldade humana e a ira divina, e de Egito, porque representa a escravidão da qual só Jesus pode libertar.
  • A ressurreição de Jesus depois de três dias e meio e seu ministério de três anos e meio como Messias.

A descrição destas testemunhas como “vestidas de pano de saco” (Apocalipse 11:3) identifica-as com a tradição dos profetas hebreus de Elias a João Batista, que usavam panos de sacos por causa da apostasia de Israel (por exemplo, 2 Reis 1:8; Isaías 20:2, Mateus 3:4). Como tal, as duas testemunhas formam uma imagem composta da Lei e dos Profetas, Antiga e Nova Aliança, culminando com a vida, morte, ressurreição e ascensão de um Profeta e Sacerdote (Jesus), que é o Senhor de todos os que são Suas testemunhas e que reinarão com Ele em uma Nova Jerusalém onde habitará a justiça (2 Pedro 3:13; Apocalipse 21:1). Sendo assim, as duas testemunhas representam a Igreja, que é composta por judeus e gentios convertidos (Atos 10:34-35; Efésios 1-2; etc.), testemunhas de Jesus que serão perseguidas durante a Grande Tribulação. De fato, a Bíblia diz que o testemunho de Jesus é o espírito da profecia (Apocalipse 19:10). Por isso, esses cristãos, que dão testemunho de Jesus, são chamados de profetas.

As testemunhas são os cristãos:

“Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.’” (Atos 1:8)

“‘Vocês são minhas testemunhas’, declara o Senhor, ‘e meu servo, a quem escolhi, para que vocês saibam e creiam em mim e entendam que eu sou Deus. Antes de mim nenhum deus se formou, nem haverá algum depois de mim.’” (Isaías 43:10)

“Vi que a mulher estava embriagada com o sangue dos santos, o sangue das testemunhas de Jesus. Quando a vi, fiquei muito admirado.” (Apocalipse 17:6)

“Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho que deram; diante da morte, não amaram a própria vida.” (Apocalipse 12:11)

As duas oliveiras são gentios e judeus convertidos a Cristo:

“Que dizer, se ele fez isto para tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de antemão para glória, ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre os gentios?” (Romanos 9:23-24)

“Se alguns ramos foram cortados, e você, sendo oliveira brava, foi enxertado entre os outros e agora participa da seiva que vem da raiz da oliveira, não se glorie contra esses ramos. Se o fizer, saiba que não é você quem sustenta a raiz, mas a raiz a você.” (Romanos 11:17-18)

Os dois candelabros são igrejas:

“Voltei-me para ver quem falava comigo. Voltando-me, vi sete candelabros de ouro e entre os candelabros alguém semelhante a um filho de homem, com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito… Este é o mistério das sete estrelas que você viu em minha mão direita e dos sete candelabros: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candelabros são as sete igrejas.” (Apocalipse 1:12-13, 20)

A Besta fará guerra contra os cristãos, e os vencerá e matará:

“Foi-lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê-los. Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação.” (Apocalipse 13:7)

Todos odiarão vocês por minha causa, mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Mateus 10:22)

“Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa.” (Mateus 24:9)

“Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês.” (João 15:20)

“Enquanto eu observava, esse chifre [o Anticristo] guerreava contra os santos e os derrotava” (Daniel 7:21)

E os habitantes da terra se alegrarão por causa deles e festejarão:

“Digo-lhes que certamente vocês chorarão e se lamentarão, mas o mundo se alegrará. Vocês se entristecerão, mas a tristeza de vocês se transformará em alegria.” (João 16:20)

Entrou neles um sopro de vida da parte de Deus:

“Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)

E eles ouviram uma forte voz do céu que lhes disse: ‘Subam para cá’:

“Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)

E os seus inimigos o viram:

“Eis que ele vem com as nuvens, e todo olho o verá, até mesmo aqueles que o traspassaram; e todos os povos da terra se lamentarão por causa dele. Assim será! Amém.” (Apocalipse 1:7)

Conclusão:

Algumas pessoas afirmam que as duas testemunhas são literalmente Moisés e Elias ou então Elias e Enoque; outras afirmam que são o Antigo e o Novo Testamentos; outras ainda que são o céu e a terra. Mas, como vimos, a Bíblia evidencia que as duas testemunhas são a Igreja, composta de oliveira cultivada (judeus) e oliveira brava (gentios) convertidos a Jesus. Após acabarem de dar o seu testemunho, os cristãos (a Igreja, formada por judeus e gentios convertidos – Atos 10:34-35; Romanos 10:12; Efésios 1-2; Gálatas 3:28, etc.) serão perseguidos e mortos (grande parte dela), mas no final Cristo os ressuscitará dos mortos e transformará os vivos quando retornar à Terra para o julgamento.

Anúncios