Quem impede a manifestação do Anticristo: A Igreja, o Espírito Santo, Satanás ou o Arcanjo Miguel?

open-bible_wide

Primeiramente, vamos ler o texto bíblico que será discutido:

1 Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e ao nosso reencontro com ele, rogamos a vocês

2 que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o dia do Senhor já tivesse chegado.

3 Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição.

4 Este se opõe e se exalta acima de tudo o que se chama Deus ou é objeto de adoração, a ponto de se assentar no santuário de Deus, proclamando que ele mesmo é Deus.

5 Não se lembram de que quando eu ainda estava com vocês costumava lhes falar essas coisas?

6 E agora vocês sabem o que o está detendo, para que ele seja revelado no seu devido tempo.

7 A verdade é que o mistério da iniquidade já está em ação, restando apenas que seja afastado aquele que agora o detém.

8 Então será revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela manifestação de sua vinda.

9 A vinda desse perverso é segundo a ação de Satanás, com todo o poder, com sinais e com maravilhas enganadoras.

10 Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar.”

(2 Tessalonicenses 2:1-10, NVI)

Note que o Anticristo (homem de pecado, filho da perdição) não se manifestará até que venha a apostasia e se afaste aquele que agora o detém.

Não vamos discutir agora sobre a identidade do Anticristo, porque já fizemos isso em outro artigo (veja-o aqui: Quem é o Anticristo?). Vamos apenas focar em quem é que detém o homem ímpio. Para tanto, analisaremos com cuidado as quatro teorias mais defendidas e veremos qual delas mais se encaixa no ensino das Escrituras.


A Igreja.

Os pré-tribulacionistas, aqueles que creem que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação, defendem que quem impede a manifestação do Anticristo é a Igreja, por meio da pregação do Evangelho, com o auxílio do Espírito Santo. Como a Igreja está agindo no mundo, o homem do pecado não pode se manifestar. Quando a Igreja for arrebatada, o Espírito Santo também sairá da Terra, e, então, o Anticristo se manifestará para dar início à Grande Tribulação.

Um dos argumentos que eles usam para defender tal ensino é a palavra apostasia: a palavra grega (esse texto foi escrito originalmente em grego) para “apostasia” é αποστασια (apostasia), que, de acordo com o dicionário Strong, significa “separação, deserção, apostasia” (G0646). Então – argumentam os pré-tribulacionistas – a apostasia ou separação pode significar que a Igreja será separada da Terra, ou seja, arrebatada, pois é ela – segundo eles – que impede a manifestação do servo de Satanás (o Anticristo). Mas até mesmo eles reconhecem que essa teoria é pouco plausível, e que Paulo deve estar falando de separação espiritual, que é a apostasia mesmo, isto é, quando um crente se separa da verdadeira fé (cf. 1 Timóteo 1:19; 4:1). E nenhuma passagem da Bíblia diz que a Igreja será arrebatada antes da Grande Tribulação ou que o Espírito Santo vai sair da Terra.

Paulo em nenhum momento diz que a Igreja será arrebatada e que o Espírito será tirado da Terra. No versículo 1, ele diz que antes da vinda do Senhor e do nosso reencontro com Ele, isto é, antes de Jesus voltar para nos arrebatar, virá a apostasia para que então se manifeste o homem do pecado. Veja novamente:

1 Irmãos, quanto à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e ao nosso reencontro com ele, rogamos a vocês

2 que não se deixem abalar nem alarmar tão facilmente, quer por profecia, quer por palavra, quer por carta supostamente vinda de nós, como se o dia do Senhor já tivesse chegado.

3 Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição.”

Ora, se a apostasia e, por conseguinte, a manifestação do ímpio também, acontecerá ANTES da vinda do Senhor e do nosso reencontro com Ele, como podem os pré-tribulacionistas usarem justamente esse texto para alegar que a apostasia é o próprio arrebatamento e que a Igreja não estará na Terra para ver o Anticristo e a Grande Tribulação? Como podem arguir que “apostasia” aqui significa arrebatamento se Paulo diz que antes do nosso reencontro com o Senhor (isto é, antes do arrebatamento – 1 Tessalonicenses 4:13-18, em especial os versículos 16 e 17: “… o próprio Senhor descerá do céu… seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares”) virá a apostasia? Claramente, apostasia aqui não significa arrebatamento.

Portanto, a Igreja não pode ser aquele que detém o “perverso”, pois ela não será tirada da Terra para que o perverso se manifeste. Pelo contrário: O que Paulo diz é que a Igreja estará na Terra quando vier a apostasia e o homem do pecado se manifestar. A boa notícia é que o Senhor Jesus matará o Anticristo com o sopro de Sua boca e o destruirá pela manifestação de Sua vinda (v. 8).

Perceba, ainda, que, de acordo com 1 Tessalonicenses 4:13-18, o arrebatamento só acontecerá quando o Senhor voltar. E, se, de acordo com 2 Tessalonicenses 2:8, Ele só matará o Anticristo quando voltar, então a Igreja ainda estará na Terra quando Jesus voltar para matar o iníquo. Isso significa que a Igreja não será arrebatada antes da Grande Tribulação. Para mais detalhes, leia o texto Ira futura, grande Tribulação e arrebatamento da Igreja.


O Espírito Santo.

espirito

Será que é o Espírito Santo quem detém o filho da perdição? Os pré-tribulacionistas alegam que o Espírito Santo sairá da Terra e, então, o homem ímpio se manifestará. Mas é preciso ter bom senso para ver que em lugar algum a Escritura afirma que o Espírito Santo sairá da Terra e que esse texto de Paulo não está afirmando isso.

Podemos concluir que para deter o Anticristo é preciso muito poder. A Igreja, que é humana, não teria poder suficiente para deter a manifestação de um ente espiritual tão poderoso. Mas o Espírito Santo, sim. Será, então, que é Ele quem detém esse perverso?

Vejamos.

Paulo diz que existia naquele tempo alguém (“aquele que agora o detém” – v. 7) ou algo (“o que o está detendo” – v. 6) que impedia o perverso de se levantar, e assim seria até que este que está resistindo permitisse a manifestação do iníquo. (Note que “o que o detém” aí, não significa aquele que o detém, mas aquilo.)

O Novo Dicionário Aurélio Século XXI diz:

Deter: “impedir de avançar; suster, reprimir: Fazer demorar;”

Resistir: “Opor-se, fazer face, Fazer frente;”

Podemos perceber que o Resistente lutará frente a frente com seu opositor. Todos sabemos que o Anticristo (o filho da perdição) não será um homem comum, mas será um homem possuído pelo próprio satanás (cf. Apocalipse 13). Por isso, esse Resistente não resistirá a um mero humano, mas, sim, às forças espirituais malignas, para que o Anticristo não se manifeste até que chegue o tempo determinado para o seu agir (cf. Apocalipse 20:1-3).

Requisitos para ser o Resistente:

  • Ter poder acima das forças do mal;
  • Ser um ente espiritual, pois deve fazer frente aos seus opositores espirituais;
  • Estar atuando na terra há 2000 anos ou mais, pois Paulo diz que naquele momento “o mistério da iniquidade” já estava em ação;
  • Ser identificado como algo e alguém ao mesmo tempo, pois os versículos 6 e 7 o chamam de “o que” e “aquele”, respectivamente.

O Espírito Santo é um ser espiritual, cujo poder transcende muito o do mal. Ele está atuando na terra por mais de 2000 anos. Parece ser um bom candidato ao “cargo” de detentor do ímpio. Mas perceba que a Escritura nunca colocou o Espírito Santo numa posição de guerreiro, que luta contra os anjos do mal. Em vez disso, O coloca como participante da Trindade, como Deus, da mesma forma que o Pai e o Filho, os quais, por intermédio de Seus Anjos, em especial, pelo Arcanjo Miguel (Daniel 10:12-14, 20-21), faz frente ao maligno em batalhas.

No evangelho de João (14:16-26; 15:26; 16:7), Jesus fala que enviaria um Consolador, o Espírito Santo. A palavra grega usada aí é παρακλητος (parakletos), que significa “alguém que pleitea a causa de outro diante de um juiz, intercessor, conselheiro de defesa, assistente legal, advogado”, de acordo com o dicionário Strong (G03875). De fato, vemos que o Espírito Santo é sempre descrito como um Socorredor e Consolador, alguém que defende a nossa causa junto ao Filho diante do Pai. Ele testemunha de Jesus (João 16:7-15). O Espírito Santo também é Deus (Mateus 28:19; 2 Coríntios 13:13; Atos 5:3-4). Ele é nosso intercessor (Romanos 8:26). Ele ensina, ilumina, regenera, santifica e transforma (Efésios 1:17-18; João 3:5-8; Gálatas 5:16-25; 2 Coríntios 3:18). Os que servem a Jesus O recebem (Romanos 8:9; 1 Coríntios 12:13).

De fato, Ele nunca é descrito como alguém que luta frente a frente com o Adversário iníquo que age com o poder de Satanás. Em vez disso, são os anjos que guerreiam a mando de Deus para defender os seus servos (2 Reis 19:35; Daniel 10:12-14, 20-21). Portanto, faltam evidência para afirmar que é o Espírito Santo quem detém o iníquo.


Satanás.

Alguns supõem que seja o próprio Satanás quem impede a manifestação do homem iníquo. Mas essa teoria também é implausível, visto que o Livro do Apocalipse diz que assim que Satanás for liberto da prisão, ele entregará seu poder a Besta (o Anticristo) e lutará contra os santos do Altíssimo, isto é, irá batalhar contra o Cordeiro na batalha do Armagedom, ou Guerra de Gogue e Magogue (Daniel 9:27; Apocalipse 13; 20:1-3, 7-8). Leia mais sobre isso aqui: O Reino Milenar de Cristo, a prisão milenar de Satanás e a batalha de Gogue de Magogue (Batalha do Armagedom).


O Arcanjo Miguel.

Depois de tudo o que foi dito, é evidente que é mais plausível supor que quem detém o Anticristo é o Arcanjo Miguel, pois ele é alguém (“aquele”) e algo ao mesmo tempo, isto é, uma criatura (“o que”). Além disso, Ele é um Anjo guerreiro e protetor de Israel (Daniel 10:12-14, 20-21). Quando Ele se afastar, o Anticristo vai se manifestar para invadir Jerusalém (Daniel 9:27; Apocalipse 11:2).

O nome Miguel vem do hebraico מיכאל (Miyka’el) e significa “aquele que é semelhante a Deus” (H04317, Strong).

miguel

Daniel disse que teve uma visão. Depois de muito orar por entendimento, Deus enviou o Anjo Gabriel para lhe explicar a visão:

“E ele [o anjo Gabriel] prosseguiu: ‘Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias. Então Miguel, um dos príncipes supremos, veio em minha ajuda, pois eu fui impedido de prosseguir ali com os reis da Pérsia. Agora vim explicar-lhe o que acontecerá ao seu povo no futuro, pois a visão se refere a uma época futura’.

Então ele me disse: ‘Você sabe por que vim? Vou ter que voltar para lutar contra o príncipe da Pérsia, e, logo que eu for, chegará o príncipe da Grécia; mas antes lhe revelarei o que está escrito no Livro da Verdade. E nessa luta ninguém me ajuda contra eles, senão Miguel, o príncipe de vocês [israelitas]’. (Daniel 10:12-14, 20-21 NVI)

Essa passagem desperta curiosidade em muita gente. E, normalmente, se tem dificuldade para compreender sobre o que aquele Anjo de guerra falava quando se referia à guerras que estavam sendo travadas e seriam travadas em oposição a reis de grandes reinos, como Pérsia e Grécia. Será que ele se referia aos verdadeiros homens que governavam os reinos citados? Dificilmente. Geralmente, é entendido que estava acontecendo uma batalha entre os anjos de Deus, liderados por Miguel, contra os anjos do mal, liderados por um líder maligno espiritual que tinha o controle sobre um certo reino terreno. Mas por que os anjos de guerra do Senhor estavam confrontando as tropas dos anjos caídos? Facilmente deduzimos que o mal tinha em mente pôr em prática alguma malícia não permitida por Deus, e foi necessária a atuação do arcanjo Miguel para impedi-lo.

arcanjo-miguel

Apocalipse 12:7-9, diz:

“Houve então uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu. O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançado à terra.”

Podemos concluir, portanto, que quem se encaixa melhor no perfil de detentor do Anticristo é Miguel, o arcanjo guerreiro que luta contra Satanás e seus servos.

Anúncios