Maomé, o profeta pedófilo

Segundo o Alcorão, Maomé é um exemplo a ser seguido:
 
“Realmente, tendes no Mensageiro de Deus um excelente exemplo para aqueles que esperam contemplar Deus, deparar-se com o Dia do Juízo Final, e invocam Deus frequentemente.” (Surá 33:21)

A legitimidade de “casar” com meninas pré-púberes que ainda não tiveram a primeira menstruação encontra-se bem estabelecida no Alcorão e no “exemplo perfeito” deixado por Maomé. O livro “sagrado” da religião islâmica diz:

“Quanto àquelas, das vossas mulheres, que tiverem chegado à menopausa, se tiverdes dúvida quanto a isso, o seu período prescrito será de três meses; o mesmo se diga, com respeito àquelas que ainda não tiverem chegado a tal condição; e, quanto às grávidas, o seu período estará terminado quando derem à luz. Mas, a quem temer a Deus, Ele lhe aplainará o assunto.” (Surá 65:4)

Esta regra aplica-se ao divórcio, o que obviamente implica casamento. Maomé queria que os muçulmanos esperassem um período de 3 meses antes de expulsar as suas esposas, se certificando, assim, de que elas não estavam grávidas.

Maomé também encorajou os seus seguidores a casar com “raparigas jovens” para obterem gratificação sexual:

“O apóstolo de Alá disse-me: ‘Já te casaste, ó Jabir?’ Eu respondi: ‘Sim’. Ele perguntou: ‘Com uma virgem ou com uma matrona?’ Eu respondi: ‘Não foi com uma virgem, mas com uma matrona’. Ele disse: ‘Por que não te casaste com um rapariga jovem que te teria acariciado?’” (Bukhari 59:382)

Para não restar dúvidas sobre o que significa “jovem” para Maomé, ele deu o seu exemplo tendo relações sexuais com Aisha, quando ela tinha apenas 9 anos:

“Aisha (que Alá se agrade com ela) reportou: ‘O mensageiro de Alá (que a paz esteja com ele) casou-se comigo quando eu tinha seis anos, e admitiu-me na sua casa  quando eu tinha 9.’” (Sahih Muslim 3309)

Isto é também confirmado por muitas outras hadiths.

Segundo as tradições mais fiáveis, Aisha levou as suas bonecas para a casa de Maomé para brincar com elas (Muslim 3341), e ele tinha o hábito de acariciar a menina na banheira enquanto eles tomavam banho juntos (Bukhari 6:298). Aisha era ainda uma adolescente quando Maomé morreu, mas ela já havia passado mais de metade da sua vida no casamento com ele.

Aisha

Para deixar o quadro ainda mais assustador, há partes do Alcorão que foram “reveladas” enquanto Maomé se encontrava na cama com a criança:
“[Maomé disse:] … a inspiração divina não vem a mim em mais nenhuma cama senão na cama da Aisha.” (Bukhari 47:755)

Portanto, Maomé não condenou a pedofilia e seu “exemplo” deve ser seguido pelos muçulmanos.

Anúncios