Maomé em Cantares de Salomão 5:16?

biblia_aberta

O Alcorão coloca os apologistas muçulmanos numa posição difícil ao afirmar que a Bíblia contém profecias claras sobre Muhammad [Maomé] (ver Alcorão 7:157 e 61:6). Muçulmanos escritores, palestrantes e debatedores tiveram quase quatorze séculos para encontrar essas profecias; por isso, se eles não podem nos mostrar onde a Bíblia fala sobre Muhammad, só podemos concluir que o Alcorão está incorreto quando apela para a Bíblia como um apoio, suporte.

Alguns dos argumentos que nossos amigos muçulmanos usam parecem baseados em puro desespero. Por exemplo, os apologistas muçulmanos populares como Zakir Naik e Shabir Ally afirmam que Muhammad é mencionado por nome em Cantares de Salomão 5:16. Zakir Naik escreve:

“O Profeta Muhammad (paz) é mencionado pelo nome nos Cantares de Salomão capítulo 5, versículo 16:

‘Hikko Mamittakim we kullo Muhammadim Zehdoodeh wa Zehraee Bayna Jerusalem.’

‘A sua boca é muito doce: sim, ele é todo amável, este é o meu amado, e este é meu amigo, ó filhas de Jerusalém.’

Na língua hebraica, -im é adicionado para o respeito. Similarmente, -im é adicionado após o nome do Profeta Muhammad (paz) para torná-lo Muhammadim. Em tradução inglesa, eles até traduziram o nome do Profeta Muhammad (paz) como ‘completamente amável’, mas no Antigo Testamento em hebraico, o nome do Profeta Muhammad (paz) ainda está presente.”

Shabir Ally acrescenta:

“Agora o que resta é para nós especificar onde na Bíblia encontramos a menção de nosso profeta. No Antigo Testamento, há muitas referências. O mais significativo é o Cantares de Salomão, capítulo 5, versículo 16. Este versículo menciona nosso profeta pelo nome. Ele diz na Bíblia hebraica ‘Ele é Muhammad’. Mas as traduções inglesas têm ‘Ele é completamente amável’ em vez da verdade real. Você precisa insistir que, uma vez que diz o nome do nosso profeta em hebraico, a tradução ‘totalmente amável’ não é mais do que uma camuflagem escondendo o nome do nosso profeta. Diga a todos os leitores da Bíblia, judeu ou cristão, para pedirem a qualquer estudioso hebreu para ler a palavra hebraica que aparece como ‘totalmente agradável’ na tradução. Você vai ouvir essa palavra pronunciada ‘Muhammad’. Por que, então, esconder o que você deve acreditar?”

Para qualquer um que leu Cantares de Salomão, este é um versículo surpreendente para citar como evidência para o Islã! Cantares de Salomão é um breve livro poético sobre um amor, relação física entre Salomão e sua noiva (há uma variedade de interpretações, mas nenhuma vai ajudar a transformar isso em uma profecia sobre Muhammad). Alguns muçulmanos afirmam que este livro não pode ser a Palavra de Deus, por causa do modo como Salomão e sua esposa falam sobre os corpos um do outro. Por exemplo, no capítulo 7, versículos 1-3, Salomão diz à sua noiva:

“Quão bonitos são os teus pés sandalizados, ó filha do príncipe! Suas pernas graciosas são como joias, o trabalho das mãos de um artista. Seu umbigo é uma taça arredondada que nunca falta vinho misturado. Sua cintura é um montículo de trigo cercado por lírios. Seus seios são como duas corças, como duas corças de uma gazela.”

Salomão continua elogiando seu corpo. E ainda os muçulmanos vão a este livro para encontrar uma profecia sobre Muhammad!

Vejamos o capítulo 5, que supostamente menciona Muhammad pelo nome. No primeiro verso do capítulo, Salomão diz:

“Eu entrei no meu jardim, minha irmã, minha noiva; Reuni a minha mirra com a minha especiaria. Eu comi meu favo de mel e meu mel; Eu bebi meu vinho e meu leite.”

Salomão fala sobre beber vinho. Mas novamente, os muçulmanos vão a este capítulo para encontrar uma profecia sobre Muhammad! [Os muçulmanos não bebem vinho.]

Vamos ler a assim chamada profecia de Muhammad no contexto. No versículo 8, a noiva de Salomão diz a seus amigos: “Filhas de Jerusalém, eu as ordeno: Se vocês acharem meu amado, o que vocês vão dizer a ele? Digam-lhe que estou desmaiado de amor”.

Suas amigas respondem no versículo 9, perguntando: “Como é que o teu amado é melhor que os outros, e você a mais bonita das mulheres?”

Ela responde-lhes nos versículos 10 a 16. Vamos ler a passagem e ver se podemos detectar a profecia sobre Muhammad. A noiva de Salomão diz:

“Meu amado é radiante e corado, destacando-se entre dez mil.

Sua cabeça é ouro puro; seu cabelo é ondulado e preto como um corvo.

Seus olhos são como pombas junto aos riachos de água, lavados em leite, montados como joias.

Suas bochechas são como jardins de especiarias produzindo perfume. Seus lábios são como lírios que destilam mirra.

Seus braços são varas de ouro com topázio. Seu corpo é como marfim polido e decorado com safiras.

Suas pernas são pilares de mármore montadas sobre bases de ouro puro. Sua aparência é como o Líbano; ele é elegante como os cedros.

Sua boca é a própria doçura; Ele é completamente amável. Este é o meu amado, este é o meu amigo, filhas de Jerusalém.”

Este último verso, de acordo com nossos amigos muçulmanos, é de alguma forma sobre Muhammad. Por que devemos interpretar este versículo como uma profecia sobre Muhammad? Os muçulmanos raciocinam que, uma vez que o hebraico para “completamente amável” é machmadim, e machmadim soa um pouco semelhante ao nome “Muhammad”, o verso está realmente se referindo a Muhammad por nome. (Nota: Zakir Naik alega que o sufixo -im é “adicionado para o respeito” em hebraico, mas isso é puro absurdo. O sufixo -im é adicionado para formar o plural, que pode ser um plural de intensidade, isto é, “completamente”. Mas vamos perdoar esse erro e fingir que a palavra usada é o singular “machmad”, que está mais próximo de “Muhammad”.) Cantares de Salomão 5:16 deve ser traduzido:

“Sua boca é a própria doçura; Ele é Muhammad. Este é o meu amado, este é o meu amigo, filhas de Jerusalém.”

Observe alguns pontos aqui. Primeiro, esta é a noiva de Salomão falando. Portanto, se a noiva de Salomão está entregando uma profecia sobre Maomé, então ela é uma profetisa, de acordo com nossos amigos muçulmanos (a menos que o autor dos Cantares de Salomão esteja apenas retratando-a como uma profetisa).

Segundo, a noiva está louvando o corpo de um homem. Isso faz todo o sentido se ela está falando sobre seu marido. Mas se os nossos amigos muçulmanos insistem que ela está falando de Muhammad, eles estão acusando a noiva de Salomão de cobiçar outro homem (Muhammad) em uma visão dada a ela por Deus.

Terceiro, se 5:16 é sobre Muhammad, então a esposa de Salomão chama Muhammad de seu “amado”. Mas no capítulo 7, versículo 10, ela diz: “Eu pertenço ao meu amado, e seu desejo é para mim”. Uma vez que Muhammad é seu amado (de acordo com a interpretação islâmica), ela declara em 7:10 que ela pertence a Muhammad e que Muhammad a deseja. Como a noiva de Salomão pertencia a Muhammad? Por que Muhammad desejaria uma mulher que estivesse morta há mais de quinze séculos?

Ou os Cantares de Salomão narram uma história extremamente preocupante sobre um caso de amor adúltero entre a noiva de Salomão e Muhammad em uma viagem no tempo, ou o livro simplesmente não tem nada a ver com Muhammad.

Mas as coisas pioram para nossos amigos muçulmanos. A palavra machmad é usada em muitos lugares no Antigo Testamento. Refere-se a algo agradável, estimado ou adorável. Então, se machmad é realmente o nome de Muhammad, precisamos ser consistentes e dizer que onde quer que a palavra machmad seja usada, está se referindo a Muhammad. Vamos considerar duas passagens que usam a palavra machmad e ver o que acontece se traduzirmos a palavra como “Muhammad”.

Em Ezequiel 24:16, a esposa de Ezequiel é chamada “machmad“, porque ela é estimada por Ezequiel. Portanto, se machmad significa “Muhammad”, Muhammad deve ter sido a esposa de Ezequiel! É isso que qualquer muçulmano acredita? Claro que não. Então por que os muçulmanos continuam nos dizendo que machmad significa “Muhammad”?

Apenas cinco versículos depois em Ezequiel, Deus diz aos filhos de Israel que Jerusalém será conquistada e que o templo será destruído. Ele diz: “Estou a ponto de profanar o meu santuário – a fortaleza em que você se orgulha, o deleite de seus olhos” (Ezequiel 24:21). A palavra “deleite” aqui é machmad. Então, se machmad é o nome “Muhammad”, Deus está prometendo profanar Muhammad! É isso que Shabir Ally e Zakir Naik querem que acreditemos que Deus está dizendo? (Para outros usos de machmad, ver 1 Reis 20: 6, 2 Crônicas 36:19, Lamentações 1: 10-11, 2: 4, Isaías 64:11, Ezequiel 24:25, Oséias 9:6 e Joel 3:5).

Isto é o que acontece quando apologistas muçulmanos tentam forçar Muhammad na Bíblia. Eles vão para uma passagem na qual a noiva de Salomão elogia o corpo de seu marido e esperam que acreditemos que ela está realmente tendo pensamentos adúlteros sobre um futuro profeta. Shabir Ally e Zakir Naik tomam uma palavra hebraica perfeitamente normal e tentam transformá-la em uma profecia de Muhammad, mas ao fazê-lo eles acabam alegando que Muhammad era a esposa de Ezequiel e que Deus promete profaná-lo!

Uma vez que Shabir chama Cantares de Salomão 5:16 de referência “mais significativa” a Muhammad em todo o Antigo Testamento, podemos apenas imaginar quão persuasivas são as outras!

Para mais informações sobre Cantares de Salomão 5:16 e sua suposta referência a Maomé, não deixe de visitar os seguintes links:


Por David Wood, missionário evangélico e apologista cristão.

Traduzido de: http://www.answeringmuslims.com/2014/05/muhammad-in-song-of-solomon-516.html